segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Papai Natal?

Nossa língua é mesmo muito curiosa. Veja a mistura que fizemos para chegar ao vocábulo "Papai Noel".

Os franceses chamam a figura lendária do Natal de Père Noël, que, literalmente, significa "Papai Natal". Ao misturar o português com o francês ficamos com o "papai" em português, mas trocamos o "natal" pela versão francesa Noël (sem o trema). Foi uma tradução parcial, que resultou numa palavra híbrida. O resultado, híbrido, é "Papai Noel", cujo plural é "Papais Noéis".

Em tempo: É bom não confundir "Papai Noel" (com iniciais maiúsculas), personagem lendária, provavelmente inspirado em São Nicolau, na figura de um velho gordinho, de barbas brancas e roupas vermelhas que, montado num trenó puxado por renas voadoras distribui presentes na noite de Natal; com "papai-noel" (com minúsculas e hífen), que significa simplesmente "presenta de natal".

Ita est!
Prof. Zanon

Bem-vindo ao blog do professor Zanon (ou seria melhor escrever "Benvindo"?)

Numa placa exposta na beira da rodovia, quase chegando em Joinville-SC, lemos esta frase: "Seja benvindo à cidade de Joinville" [sic].

As formas "benvindo" e "bem-vindo" são comuns em placas e cartazes.

Mas os dicionários são unânimes: grafam "bem-vindo" com hífen.

Essa confusão tem dois motivos. Primeiro: a forma "Benvindo" (ou "Benvinda") existe: é nome próprio muito comum no Nordeste do país. Segundo: o "Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa" registra as duas formas, "bem-vindo" e "benvindo".

O "Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa" tem valor oficial. Os dicionários tem autoridade.

Se alegarem que você escreveu "benvindo" de modo errado em algum concurso ou vestibular, recorra da decisão e prove que você se baseou nessa ou naquela autoridade.

Ita est!
Prof. Zanon

"Livrai-nos do mal"

Quem não conhece a frase "livrai-nos do mal", que surge quase no fim da oração do "Padre-Nosso" ou "Pai-Nosso"? Pois bem, talvez já tenha se perguntado o que significa esta forma verbal, "livrai-nos".
"Livrai" é da segunda pessoa do plural do imperativo afirmativo.

-x-
LIVRA TU
LIVRE ELE
LIVREMOS NÓS
LIVRAI VÓS
LIVREM ELES

E de onde vêm essas formas verbais? Para formá-las, basta pegar a segunda pessoa do plural do presente do indicativo, sem o "s" final.

Com o verbo livrar, por exemplo, após conjugá-lo no presente do indicativo (eu livro, tu livras, ele livra, nós livramos, vós livrais, eles livram), selecionamos a segunda pessoa do plural (vós livrais) e retiramos o "s" = livrai.

"Livrai-nos do mal", portanto, é uma frase imperativa. Quem a profere dá ao seu interlocutor (no caso da "oração do Pai-Nosso" o interlocutor é o nosso Pai celestial) o tratamento de segunda pessoa do plural ("vós"). O Criador, por ser elevado, absoluto, recebe dos seus servos o tratamento de segunda pessoa do plural, também chamado nesse caso de "plural majestático".

Quando dizemos "livrai-nos do mal", estamos rogando a Deus que nos livre do mal.

Ita est!
Prof. Zanon

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Mexerico (com "x")

Mexerico é a ação ou resultado de mexericar, de falar da vida alheia; algo que todos gostam de fazer, exceto eu e você, é claro! Alguns mexeriqueiros ficam em dúvida na hora de escrever mexerico: "x" ou "ch"?

Após a sílaba inicial "ME", a regra exige que se use "x" e não "ch".

Exemplos: "mexilhão, mexido, mexer, mexerico, mexicano, mexe-mexe etc."

"Professor, mas eu já vi a palavra mecha escrita com "ch"?"

É verdade. "Mecha" (substantivo), "mechar" (verbo) e "mechoação" (uma espécie de planta purgativa) constituem exceções à regra anterior.

Na dúvida, troque a palavra "mexerico" por um de seus sinônimos: babado, besouragem, bisbilhotice, boato, coscuvilhice, detração, difamação, disse me disse (sem hífen), enredo, falatório, fofoca, futrica, fuxico, indiscrição, intriga, maledicência, mexericada, tecedura, trica etc.

Ita est!
Prof. Zanon

"O musse de chocolate" ou "A musse de chocolate?"


Musse é uma iguaria de consistência leve e cremosa. Pode ser doce ou salgada, preparada com gelatina ou clara de ovos e um ingrediente básico que lhe dá o sabor (musse de chocolate, musse de camarão etc).

Sendo assim, tão delicada, só poderia ser feminina. Portanto, diga "a musse de chocolate" sem medo de errar!


Ita est!

Prof. Zanon

"Quero comer um omelete", ou, "quero comer uma omelete?"


Omelete é uma fritada de ovos bem batidos, a que se podem agregar temperos (salsa, cebola etc.) e outros ingredientes (eu sugiro presunto e queijo), geralmente dobrada ao meio ou em forma de envelope. 

Omelete é substantivo feminino, tanto que os dicionários respeitados incluem a variação "omeleta". 

Para memorizar: Omelete é uma "fritada de ovos". Assim como dizemos "a fritada de ovos" (feminino) também diremos "a omelete" ou "uma omelete" (também feminino).


Ita est!

Prof. Zanon

Misto (com "s") ou Mixto (com "x")


"Misto" é com "s" sempre. 

Para memorizar, associe com "mistura", palavra da mesma família de "misto".

E memorize também MISTO-QUENTE (sanduíche feito de duas fatias de pão de forma com recheio de queijo e presunto e aquecido na chapa) com hífen. O plural é "mistos-quentes".


Ita est!

Prof. Zanon

"[...] a menos que eu to diga."


"E acrescentou: “Estipula-me teu salário e eu to darei.”" - Gênesis 30,28 (pronome "te" + "o")


"De modo que selou a jumenta e disse ao seu ajudante: “Guia e vai na frente. Não te detenhas, por minha causa, de seguir cavalgando, a menos que eu to diga.”" - 2 Reis 4,24 (pronome "te" + "o")


"Se eu tivesse fome, não to diria; pois a mim me pertencem o solo produtivo e a sua plenitude." - Salmo 50,12 (pronome "te" + "o")


"Sim, jurou-lhe: “O que for que me pedires, até a metade do meu reino, eu to darei." - Marcos 6,23 (pronome "te" + "o")


"De fato, tampouco Herodes, pois no-lo enviou de volta; e, eis que ele não cometeu nada que mereça a morte" - Lucas 23,15 (pronome "nos" + "o")


"Disseram-lhe: “Não temos aqui senão cinco pães e dois peixes.” Ele disse: Trazei-mos aqui.”" - Mateus 14, 17-18 (pronome "me" + "os")

Quem faz uso da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas já se deparou inúmeras vezes com as expressões "no-lo, to, mos etc."

Encontramos essas combinações de pronomes também em poesias. O poeta maranhense Gonçalves Dias escreveu estes versos:

"Não te esqueci, eu to juro:

Sacrifiquei meu futuro,

Vida e glória por te amar!."

Esse "to" é a combinação de dois pronomes ("te" + "o"). No poema, o pronome "te" representa o interlocutor, a mulher a quem o poeta dirige a mensagem e que recebe o tratamento em segunda pessoa no singular (tu). O pronome "o" representa a oração "Não te esqueci". "Não te esqueci, eu to juro" equivale a "Não te esqueci, eu te juro isso".

Podemos combinar também o pronome "me" com "o" ou "a". O resultado é "mo" e "ma" respectivamente. E o pronome "nos" com "o" ou "a" resulta em "no-lo" e "no-la".


Essas combinações de pronomes são comuns até hoje em Portugal, tanto na escrita como na fala. Mas no Brasil, aparecem somente em textos literários escritos até as quatro ou cinco primeiras décadas do século passado. A Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas foi publicada pela primeira vez em português em 1967, e o uso que fazia (e ainda faz) dessas combinações de pronomes indica o objetivo de alcançar os leitores lusitanos, além dos brasileiros.


Ita est!

Prof. Zanon   




domingo, 6 de setembro de 2009

Frases profundas

"Se no futuro for possível viajar ao passado, por que os turistas do futuro não estão nos visitando?"

Stephen Hawking



"Onde não se pode criticar, todos os elogios são suspeitos".

Ayaan Hirsi Ali


"Os fracos matam o corpo dos seus inimigos, os fortes matam o significado dele dentro de si".

Augusto Cury




"Eu gosto de seu Cristo... mas não de seus cristãos.
Seus cristãos são tão diferentes de seu Cristo".

Mahatma Gandhi



"A primeira vítima da guerra é a verdade".

Hiram Johnson



"Plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores".

Wiliam Shakespeare


"Argumentar com uma pessoa que renunciou à lógica é como dar remédio a um homem morto".

Thomas Paine


"Se dois homens vêm andando por uma estrada, cada um carregando um pão, e, ao se encontrarem, eles trocam os pães, cada homem vai embora com um.

Porém, se dois homens vêm andando por uma estrada cada um carregando uma ideia, e, ao se encontrarem, eles trocam as ideias, cada homem vai embora com duas".


E agora a minha favorita:

"Quanto menos você sabe, mais você acredita".

Ita est!

Prof. Zanon

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O "x" de inexorável

"Ainda não aprendi
a lecionar para esse coração,
o esquecimento,
do sorriso que invadiu minha alma,
na tarde quente de outro Março;" [...]


Assim começa o poema "Inexorável Coração", de Claraflor de Maio.

"Inexorável" é uma palavra forte!

Como você a lê? "Inecsorável?! Nada disso!

Esse "x" lê-se como o de "exemplo", "exame", "exato", "exercício", "exorcismo" etc.

É verdade, ele tem som de \z\. Portanto, lê-se "inezorável". Vou provar-lhe com a autoridade do velho HOUAISS:

"inexorável \z\ adjetivo de dois gêneros
1 que não cede ou se abala diante de súplicas e rogos; inflexível, implacável
2 cujo rigor, severidade, não pode ser amenizado
Ex.: leis, regras i.
3 a que não se pode subtrair; fatal, inelutável
Exs.: destino i.
lógica i."


Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa

Eu não disse?

Já que eu provei com o Houaiss qual é a pronúncia correta, não seja uma pessoa inexorável e mude a sua prolação.

Ita est!
Prof. Zanon

Cuidado com a pontuação

Os sinais de pontuação podem alterar completamente o sentido de uma frase se forem mal utilizados. Um clássico exemplo é a passagem bíblica de Lucas 23,43 onde encontramos as palavras do senhor Jesus ao malfeitor que estava ao seu lado:

“E ele lhe disse: "Deveras, eu te digo hoje: Estarás comigo no Paraíso.”" (Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. Tatuí-SP: Torre de Vigia, 1986)

"Jesus respondeu-lhe: Em verdade te digo: hoje estarás comigo no paraíso." (Versão Católica. Disponível em: http://www.bibliaonline.com.br/vc/lc/23)

A primeira tradução colocou os dois pontos logo após a palavra "hoje", e a segunda logo após a palavra "digo". Resultado: de acordo com a primeira tradução, Jesus disse ao malfeitor naquele dia que futuramente eles estariam juntos no Paraíso (sem especificar em qual data futura); já a segunda tradução passa-nos a ideia de que Jesus disse ao malfeitor que naquele mesmo dia eles iriam para o Paraíso.

Duas informações diametralmente opostas, e tudo por causa do deslocamento dos dois pontos!


Outra passagem bíblica que pode ter o sentido completamente alterado com a pontuação errada é Mateus 28,6. Quando algumas mulheres encontraram o túmulo do senhor Jesus vazio, um anjo lhes teria dito:

"Ressuscitou; não está aqui!"

Essa frase transmite a ideia correta da passagem. Mas veja o que acontece quando pontuamos de outro modo:

"Ressuscitou não; está aqui!

ou ainda:

"Ressuscitou? Não, está aqui!

Concluímos então que a pontuação e os sinais diacríticos são elementos importantes da linguagem escrita, e, se mal posicionados, podem dizer algo completamente contrário do que pretendíamos.


Vamos ao último exemplo. A historinha abaixo é muito usada pelos professores para ilustrar a importância da pontuação.


"Um homem rico estava muito mal, agonizando. Pediu papel e caneta. Escreveu assim: "Deixo meus bens a minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do padeiro nada dou aos pobres". Morreu antes de fazer a pontuação. A quem deixava a fortuna? Eram quatro concorrentes.


  1. O sobrinho fez a seguinte pontuação:

  2. Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.


  3. A irmã chegou em seguida. Pontuou assim o escrito:

  4. Deixo meus bens à minha irmã. Não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.


  5. O padeiro pediu cópia do original. Puxou a brasa pra sardinha dele:

  6. Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro. Nada dou aos pobres.


  7. Aí, chegaram os descamisados da cidade.. Um deles, sabido, fez esta interpretação:


Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho? Jamais! Será paga a conta do padeiro? Nada! Dou aos pobres".

Ita est!

Prof. Zanon

Matérias mais antigas:

Minha foto
Sou um professor apaixonado pela educação, pela literatura, pela língua portuguesa e pela arte de escrever. Como tantos educadores, um idealista. Fascina-me a incomensurável capacidade de transformação do ser humano. Por que me ufano da minha profissão? Porque sei que quando leciono, não estou apenas passando conteúdos, mas também destruindo mitos, dogmas e raciocínios falaciosos que cerceiam a liberdade humana.