quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

ORIENTAÇÕES AOS PAIS PARA EDUCAREM OS FILHOS ADOLESCENTES

Converse e olhe para ele diariamente. O diálogo (falar e ouvir) aumenta o vínculo de confiança e companheirismo, o olhar atento permite descobrir coisas que às vezes não são faladas pelos filhos.

Abrace-o e beije-o com frequência. Não é suficiente só sentir amor, é preciso demonstrá-lo. O adolescente precisa se sentir amado, mesmo que aparente não gostar ou não dar valor a esses gestos.

Escute-o. Os jovens gostam de compartilhar suas ideias e experiências. Escutando-o você estará demonstrando que se interessa pelo que acontece no seu dia a dia.

Respeite-o como indivíduo. O jovem não é cópia dos pais, é um outro ser humano em desenvolvimento, buscando sua identidade e aprendendo a ser cidadão, ou seja, conhecendo e praticando seus direitos e deveres.

Dê um bom exemplo. Os pais são um ponto de referência e um modelo. Portanto, assumam atitudes positivas, reconheçam seus erros, não tenham vergonha de falar de suas dúvidas, de trocarem opiniões entre si. Não se agridam diante dos filhos. O lar precisa oferecer segurança e afeto e a família deve se ver como um time, onde todos cooperam entre si.

Oriente-o. Ajude-o a desenvolver sua auto-estima, elogiando e valorizando seus sucessos, criticando suas atitudes erradas (quando necessário), porém sempre mostrando caminhos possíveis para novos sucessos.

Eduque-o. Ajude-o a desenvolver valores como a honestidade, lealdade e integridade, pois são estes os valores que o tornará um ser humano digno e honrado.

Exerça com razoabilidade e firmeza sua chefia em casa. Estabeleça regras claras, negociadas entre todos os membros da família e que sejam entendidas como necessárias para o bom funcionamento do lar. O sim e o não são necessários para que ele aprenda a lidar com as frustrações, entenda limites e regras, respeite o espaço dos outros e aprenda a conviver socialmente. Diga não explicando os motivos, deixando clara a sua preocupação de protegê-lo, que não está apenas querendo mandar por mandar. Explique que à medida que amadurecer e ficar mais velho terá mais liberdade.

Seja honesto. Não oculte seus erros, assuma-os e encare as consequências com dignidade. Você estará ensinando-os também pelo exemplo a serem responsáveis pelos próprios atos. Também entenderão que suas escolhas e atitudes interferem na construção do seu projeto de vida e do seu futuro.

Treine-o. Forneça meios para que ele desenvolva um senso crítico, principalmente em relação ao que é mostrado pelos meios de comunicação de massa, com especial atenção para as mensagens que apelam para o consumo ou exploram a sexualidade só pelo lado sexual.

Gaste tempo de qualidade com ele. Valorize atividades saudáveis e que puxem pela criatividade, principalmente aquelas realizadas em grupo. Eventos escolares educativos, de esporte e lazer o ajudarão a aprender como lidar com as perdas, regras e derrotas, além de combater o sedentarismo.

Seja coerente. Ensine e pratique os mandamentos da solidariedade e da ética, do amor ao próximo e da caridade, pois eles são responsáveis pela harmonia dos povos e pela convivência pacífica das pessoas na sociedade.

Ame-os. Ame-os incondicionalmente. O que não se resolve com amor... não se resolve.

Adaptado do texto da Drª. Júlia Cordellini

Ita est!
Prof. Zanon




terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Eu recomendo


Vez por outra eu recomendo livros, filmes, peças de teatro e outras coisas interessantes que acredito serem úteis aos meus alunos e demais visitantes do blog.

Na última semana eu li o livro "Mulheres... Sexo Frágil? Nunca mais!" de Almir de Lima Barbosa e constatei sua importância, não só para as mulheres, mas para todos nós que vivemos nestes dias violentos. O autor frisa que o objetivo do livro não é ensinar dicas de reação, mas de prevenção. Por isso o livro deve interessar especialmente a pessoas pacíficas, que odeiam toda forma de violência (mesmo a reativa), mas precisam e devem aplicar em suas rotinas regras preventivas.

O livro apresenta alguns diferenciais muito práticos:

- Mais de mil dicas em ordem aleatória, não compartimentadas por assuntos. O objetivo é que a leitura flua e o leitor assimile todas as informações, sem ser tentado a escolher tópicos específicos.

- Dicas em linguagem objetiva, enxuta, sem comentários desnecessários que tornam a leitura cansativa.

- Uma gama de assuntos que vai desde o cuidado na escolha de batons até o que fazer caso ocorra uma explosão nuclear. Nesse aspecto o livro torna-se um manual que vai da praticidade à curiosidade, oferecendo uma leitura muito prazerosa.

Constatei a importância do livro ao ser furtado no início do ano na praia de Ubatuba, em São Francisco do Sul-SC. Deixei meus documentos no carro e ao voltar encontrei a porta arrombada e os documentos e demais pertences furtados. Depois do ocorrido, lendo o livro encontrei as seguintes dicas:

- Quando forem estacionar procurem por estacionamentos pagos.

- Procurem deixar seu carro em locais que haja movimentação na hora de sua saída.

- Tenham sempre em mãos, telefones de emergências.

- Muito cuidado também com cuidadores, flanelinhas, pedras no parabrisa, líquidos com ácido (golpe comum hoje em dia).

- Nunca deixem a chave de sua casa no veículo.

- Não deixem objetos e documentos de valor dentro do veículo.

- Instalem e sempre acionem o alarme.

Ou seja, se eu tivesse lido o livro antes e tivesse praticado essas dicas, provavelmente não teria sido furtado na minha viagem de férias.

A Bíblia aconselha: "O prudente prevê o mal, e esconde-se; mas os simples passam e acabam pagando." - Provérbios 22,3

"Prever situações perigosas e prevenir-se" é um conselho sábio para todos hoje. O livro "Mulheres... Sexo Frágil? Nunca Mais!" poderá ser muito útil para aplicarmos esse conselho.

Para adquirir o livro impresso:



Para adquirir em formato eletrônico (e-book):

capa121212.<span class=


Ita est!
Prof. Zanon

Matérias mais antigas:

Minha foto
Sou um professor apaixonado pela educação, pela literatura, pela língua portuguesa e pela arte de escrever. Como tantos educadores, um idealista. Fascina-me a incomensurável capacidade de transformação do ser humano. Por que me ufano da minha profissão? Porque sei que quando leciono, não estou apenas passando conteúdos, mas também destruindo mitos, dogmas e raciocínios falaciosos que cerceiam a liberdade humana.