quarta-feira, 30 de março de 2011

"Um homem honrado"


José Alencar Gomes da Silva
Murié, 17.10.1931 - São Paulo, 29.03.2011

Foi senador pelo estado de Minas Gerais e vice-presidente do Brasil de 1º.01.2003 até 1º.01.2011. Foi um dos maiores empresários do estado de Minas Gerais. Construiu um império no ramo têxtil, sendo a Coteminas sua principal empresa.




"Morning is due to all

- To some - the Night

- To an imperial few

- The Auroral light."


"A manhã se dá a todos,

A noite, para alguns poucos;

A raros afortunados,

A luz da madrugada."

Emily Dickinson
Ita est!

Prof. Zanon

terça-feira, 29 de março de 2011

Tristeza

Quando moço, eu disse à Tristeza:
"Vem, que brinco contigo."
Agora está perto de mim todo o dia
E de noite retorna e diz:
"Volto amanhã com certeza,
Volto e fico contigo."

Andamos juntos pelo bosque,
Seus passos mansos murmurando ao lado.
Para amparar um ser em desestima,
Ergueu um invernoso abrigo,
E a noite toda, quando chove,
Escuto os leves respiros ao lado.

Aubrey de Vere

BLOOM, Harold, selecção de, Contos e poemas para crianças extremamente inteligentes de todas as idades, Volume 1, Primavera, Rio de Janeiro, Objetiva, 2003, p. 20

domingo, 27 de março de 2011

Bem-aventurado aquele que ausente

Bem-aventurado aquele que ausente
do reboliço, tráfego e tumulto,
vê de longe as perdas e insultos,
que faz o mundo vil da nécia gente.
Aos cuidados tem posto freio,
mui alheio
do perigo
que consigo
traz a vida
que, embebida
no peçonhento gosto da cobiça,
o fogo com que arde assim atiça.

Não se mantém no gosto dos favores,
enlevado em falsas esperanças;
vis lhe parecem e baixas as privanças
dos Príncipes, dos Reis e dos Senhores;
por abundância tem e por riqueza
a pobreza;
que, imiga
da fadiga,
não contente,
descontente
por ver o coração que, por viver
sem cuidado e temor, quis pobre ser;

pisa, com peito forte e animoso,
as ambições que os olhos de alma cegam;
despreza as vãs promessas que enlevam
ao vão pensamento cuidadoso
- este por mau e por perverso sempre tive -;
e assim vive,
porque a vida
consumida
com cuidados
escusados,
e sujeita a desconcertos da Ventura,
não é vida vital, mas morte pura.

Não tiram o doce sono as lembranças
importunas do bem ou mal futuro;
os várias sucessos vê seguro,
livre de medo, isento de mudanças.
E posto que a vida breve seja,
não deseja
entendê-la;
goza dela,
que parece
que enriquece.
Porque a vida ocupada em buscar vida,
acha-se mal gastada e não crecida.

Não anda entre amigos encobertos,
a perigos imensos avisado;
mas, com ânimo constante e sossegado,
goza dos corações leais e certos.
Quando o bravo mar furioso
belicoso
fogo acende,
e pretende
com estranha
ira e sanha
roubar a cara paz cá na terra,
com sossego está-se rindo da guerra.

Não ouve da trombeta temerosa
o rouco som que assombra o esforçado;
não teme do cruel e vão soldado
a espada de sangue cobiçosa;
nem o pelouro da espingarda saindo,
retinindo,
pelo ar voa
ledo e soa;
mas descendo,
não se vendo
vai ferir entre muitos o coitado,
que tal caso está bem descuidado.

E posto que o livre entendimento
cativa a vista, e regra a lei que segue,
e a outra vontade a sua entregue,
refreando o errado pensamento;
contudo, tem mais certa liberdade
a vontade
que aceita
ser sujeita,
porque os danos
e enganos
que procedem do próprio parecer,
senhor de si a um não deixa ser.

Ora da baixa terra alevanta
o esperto pensamento ao céu fermoso,
e da vida e de si mesmo queixoso,
morre por possuir riqueza tanta;
ora com doces ais o céu rompendo,
e gemendo
diz a morte:
dura sorte,
se vieras
e me deras
um golpe tão esquivo que morrera,
por verdadeira vida te tivera.

Luís Vaz de Camões

terça-feira, 15 de março de 2011

De onde vem a palavra "obrigado"?

Quando recebemos um presente ou alguém nos faz um favor, geralmente agradecemos dizendo "obrigado" ou alguma variação disso.

A palavra "obrigado" pertence à mesma família de "obrigar", "obrigação" etc. Quem agradece dizendo "obrigado" teoricamente está se declarando obrigado a retribuir o favor ou o presente que acabou de receber. "Obrigado (a)" é a provável redução de "estou obrigado (a) a retribuir o favor que recebi".

Por isso, o homem deve dizer "obrigado" e a mulher "obrigada". Se um homem agradecer em nome de um grupo pode dizer "obrigados nós". Se uma mulher agradecer em nome de um grupo exclusivamente feminino, a forma recomendada é "obrigadas nós".

Ita est!
Prof. Zanon

Fonte: CIPRO NETO, Pasquale. Nossa língua curiosa. São Paulo: Publifolha, 2003. p. 10.

sábado, 12 de março de 2011

Carta Testamento de Getúlio Vargas

Rio de Janeiro, 23 de agosto de 1954


Mais uma vez as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes. Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo.

A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios. Quis criar liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás e, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre. Não querem que o povo seja independente. Assumi o Governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano.

Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano. Veio a crise do café, valorizou-se o nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia, a ponto de sermos obrigados a ceder. Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo, renunciando a mim mesmo, para defender o povo, que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar, a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida.

Escolho este meio de estar sempre convosco. Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no pensamento a força para a reação. Meu sacrifício vos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com o perdão.

E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue será o preço do seu resgate.

Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História.

Getúlio Vargas

sexta-feira, 11 de março de 2011

Aluno participativo e questionador - Uma bênção para a classe toda.

Participação dos alunos

Participar é manifestar uma atitude ativa e colaborante nas aulas. Os alunos participativos não se contentam em apenas assistir e a escutar. Não são apenas receptivos e silenciosos. Colaborando ativamente, tornam as aulas mais vivas e os assuntos mais interessantes. Não sentem o aborrecimento daqueles que passam o tempo contando os minutos que faltam para a aula acabar ou a olhando para a porta como se fosse a "saída para a felicidade".

Os alunos participativos aprendem mais e, pela sua atitude positiva, estimulam os professores e os demais colegas da classe.

É um fato que alguns professores não dão grande espaço à participação dos alunos. Uns, mais rígidos, receiam atrasar os programas. Outros, mais inseguros, receiam criar a indisciplina. Apesar disso, todos os professores sentem um carinho especial por aqueles alunos que participam nas suas aulas, com respeito e desejo sincero de aprender, não apenas pelo gosto de interromper o andamento normal das aulas.

Alunos participativos são uma alegria e um incentivo a mais para os professores. As aulas tornam-se mais animadas se houver colaboração entre professores e alunos. Se é verdade que os professores fazem as turmas, não é menos verdade que as turmas fazem os professores. Para o aluno, existem duas formas de participação: fazer perguntas e intervir nos debates.

Como fazer perguntas pertinentes e produtivas

Fazer perguntas ao professor é um processo eficiente de participação nas aulas, ao alcance de todos os estudantes, mesmo dos mais tímidos. As perguntas nascem naturalmente. Umas surgem na própria aula. Outras provêm do contato com os "professores surdos", que são os livros.

Perguntar é bom. Mas "perguntar por perguntar" demonstra, muitas vezes, desatenção, indelicadeza, falta de estudo ou mesmo um secreto desejo de "dar nas vistas". Fazer perguntas despropositadas ou em número excessivo acaba por perturbar o ambiente de trabalho e empatar o avanço da matéria. Isso não favorece o aluno. As boas perguntas manifestam atenção, inteligência, curiosidade pelos assuntos e vontade de esclarecer dúvidas.

O momento mais propício para se fazer as perguntas é quando o professor abre espaço para elas. Geralmente, depois de fazer suas explanações, o professor diz: "Alguma pergunta?" Este é o momento ideal. Convém, enquanto o professor está explanando o assunto, tomar notas de algumas perguntas que surgem, e daí, quando o professor perguntar se há dúvidas sobre o assunto, perguntar.

Ita est!

Prof. Zanon

Como administrar bem o tempo

A administração do tempo é uma ferramenta gerencial, que pode ser utilizada tanto nas empresas quanto na nossa vida particular, permitindo a organização de metas pessoais e profissionais, com menor dispêndio de energia física e mental. A boa administração do tempo é, provavelmente, o fator mais importante na administração de si mesmo e do trabalho executado. Ela começa com a auto-descoberta, isto é, com a identificação de como utilizamos o nosso tempo, do que não nos satisfaz e do que desejamos mudar.

Algumas dicas de como utilizar bem o tempo:

- PLANEJAMENTO - Toda hora aplicada em planejamento eficiente poupa três ou quatro na execução e produz melhores resultados;

-
ORGANIZAÇÃO - A organização é um outro fator facilitador na execução das tarefas; uma aliada do tempo. Ela deve existir principalmente nas informações;

-
DELEGAÇÃO - Atribuição de tarefas para outras pessoas a fim de liberar o tempo para tarefas mais importantes. É a chave da administração eficaz;

-
TELEFONE - Use-o para evitar deslocamento desnecessário para obter informações;

-
COMUNICAÇÃO - A linguagem simples, concisa e isenta de ambiguidades assegura a compreensão e poupa o tempo com mal-entendidos;

-
TOMADA DE DECISÕES - A análise de decisão tem que ser precisa e baseada em informações seguras, para que possa ser atacado o problema, imediatamente;

-
CONCENTRAÇÃO - Tempo mínimo (anterior a ação) em que se julgar necessário para conseguir progresso em menos tempo.


Ita est!
Prof. Zanon

Como fazer reuniões criativas

- Só convoque uma reunião quando totalmente indispensável;

- Estabeleça os objetivos;

- Elabore uma pauta, fixando tempo para cada assunto;

- Convide apenas as pessoas às quais o assunto interessa;

- Não castigue os pontuais, premiando os atrasados;

- Mantenha o rumo da discussão;

- Designe um participante para secretariar a reunião;

- Sintetize as conclusões;

- Faça o acompanhamento de todas as decisões tomadas.


Ita est!

Prof. Zanon

Matérias mais antigas:

Minha foto
Sou um professor apaixonado pela educação, pela literatura, pela língua portuguesa e pela arte de escrever. Como tantos educadores, um idealista. Fascina-me a incomensurável capacidade de transformação do ser humano. Por que me ufano da minha profissão? Porque sei que quando leciono, não estou apenas passando conteúdos, mas também destruindo mitos, dogmas e raciocínios falaciosos que cerceiam a liberdade humana.