terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Professor tira "féria" todo ano em janeiro.

Féria (no singular) é a quantia que alguém arrecada num período.

- Sua féria crescia muito no verão.

Férias (no plural) são o período de descanso.

- Professor tira férias todo ano em janeiro.


Ita est!
Prof. Zanon

Tirou a prova dos "nove".


Números, quando substantivados, têm plural:

- Tirou a prova dos noves.

- Noves fora.

- Retirou os cincos do baralho.

- Faltavam os oitos no bingo.

Ita est!
Prof. Zanon

A obra custará "R$ 1,25 milhões".


Um número vai para o plural somente a partir de duas unidades:

- A obra custará R$ 1,25 milhão.

- O dólar foi cotado a 1,56 real (e não "1,56 reais").

- O país tem em média 0,7 habitante (e não "0,7 habitantes") por quilômetro quadrado.

- Havia no estado 2,7 milhões de pessoas.

- O euro foi cotado a 3,56 reais.

Ita est!
Prof. Zanon

domingo, 11 de janeiro de 2015

Crime de lesa-majestade ou leso-majestade?

Neste tipo de construção, usamos o adjetivo leso (e não a flexão lesa, do verbo lesar). E o adjetivo sempre concorda com o substantivo ao qual se refere.

- É um crime de leso-leitor. (de leitor lesado).

- É um crime de leso-patriotismo. (de patriotismo lesado).

- É um crime de lesa-pátria. (de pátria lesada).

Escreve-se sempre com hífen, e o plural se faz assim: lesos-direitos (direitos lesados), lesas-majestades (majestades lesadas).

Ita est!
Prof. Zanon 

Ela "mesmo" fez o trabalho.

Quando vem depois de substantivo ou pronome, a expressão mesmo equivale a próprio ou própria e, nesses casos, varia para fazer a concordância.

- A professora mesma preparou a sala de aula. (Ou seja: A professora própria preparou a sala de aula; ela própria preparou a sala de aula.)

- Eles mesmos descarregaram o caminhão. (Eles próprios...).

- A moça conseguiu o emprego por si mesma. (... por si própria.) 

Mas cuidado: Mesmo não varia quando equivale a de fato ou realmente.

- Eles trouxeram mesmo os documentos. (Note que a frase está no plural mas a expressão mesmo permaneceu no singular.)

- A garota veio mesmo. (Note que o substantivo está no feminino mas a expressão mesmo permaneceu no masculino.)

Ita est!
Prof. Zanon

sábado, 3 de janeiro de 2015

Provérbios antigos.

Muitos provérbios usados hoje surgiram na Idade Média. Suas origens são muito curiosas. Seguem três exemplos:

- Os banhos eram tomados numa única tina, enorme, cheia de água quente. O chefe da família tinha o privilégio do primeiro banho na água limpa. Depois, sem trocar a água, vinham os outros homens da casa, por ordem de idade, em seguida as mulheres, também por ordem de idade e, por último, as crianças. Os bebês eram os últimos a tomar banho.

Quando chegava a vez deles, a água da tina já estava tão suja que era possível perder um bebê lá dentro. É por isso que existe a expressão em inglês "Don't throw the baby out with the bath water", ou seja, literalmente "Não jogue fora o bebê junto com a água do banho". Essa expressão quer dizer o seguinte: Ao se livrar de algo inconveniente, cuidado para não jogar, junto, algo importante, valioso.



- Os telhados das casas não tinham forro e as madeiras que os sustentavam eram o melhor lugar para os animais se aquecerem; cães, gatos e outros animais de pequeno porte como ratos e besouros. Quando chovia, começavam as goteiras e os animais pulavam para o chão. Assim surgiu a expressão em inglês: "It's raining dogs and cats. Os brasileiros, ao ouvirem os ingleses pronunciarem essa frase, trocaram a expressão “dogs and cats” por “canivetes” por sua aproximação fonética, surgindo o equivalente em português: “Está chovendo canivetes”.



- Depois de um tempo, as pessoas que tinham morrido eram desenterradas, seus ossos colocados num ossuário e a sepultura ficava livre para ser usada por outro infeliz. Às vezes, ao abrir os caixões, percebiam que havia arranhões nas tampas do lado de dentro, o que indicava que aquele morto, na verdade, tinha sido enterrado vivo. Assim, surgiu a idéia de, ao fechar os caixões, amarrar uma tira no pulso do defunto, tira essa que passava por um buraco no caixão e ficava amarrada num sino. Após o enterro, alguém ficava de plantão ao lado do túmulo durante uns dias. Se o indivíduo acordasse, o movimento do braço faria o sino tocar. Assim, ele seria "saved by the bell", ou "salvo pelo gongo", como usamos hoje.



Ita est!
Prof. Zanon


Nomes do Brasil

Você sabia que o Brasil já teve oito nomes antes do atual?




Antes do nome atual, o Brasil foi batizado como:

- Pindorama (nome dado pelos indígenas);
- Ilha de Vera Cruz, em 1500;
- Terra Nova em 1501;
- Terra dos Papagaios, em 1501;
- Terra de Vera Cruz, em 1503;
- Terra de Santa Cruz, em 1503;
- Terra Santa Cruz do Brasil, em 1505;
- Terra do Brasil, em 1505;
- E finalmente Brasil, desde 1527.




Por que Brasil?

O Brasil recebeu este nome porque nos primeiros anos de sua colonização era extraída das matas na costa brasileira a madeira chamada pau-brasil. Ela era usada para tingir tecidos e a cor que produzia era a cor da brasa.

Ita est!
Prof. Zanon


Matérias mais antigas:

Minha foto
Sou um professor apaixonado pela educação, pela literatura, pela língua portuguesa e pela arte de escrever. Como tantos educadores, um idealista. Fascina-me a incomensurável capacidade de transformação do ser humano. Por que me ufano da minha profissão? Porque sei que quando leciono, não estou apenas passando conteúdos, mas também destruindo mitos, dogmas e raciocínios falaciosos que cerceiam a liberdade humana.