sexta-feira, 27 de março de 2015

Rosas e espinhos



“A vida requer cuidados. Os amores também. Flores e espinhos são belezas que se dão juntas. Não queira uma só, elas não sabem viver sozinhas...
Quem quiser levar a rosa para sua vida, terá de saber que com elas vão inúmeros espinhos. Não se preocupe: a beleza da rosa vale o incômodo dos espinhos.”

Pe. Fábio de M



If I can dream!



Soneto 35 de William Shakespeare

~ Soneto 35 ~

Não chores mais o erro cometido;
Na fonte, há lodo; a rosa tem espinho;
O sol no eclipse é sol obscurecido;
Na flor também o inseto faz seu ninho;

Erram todos, eu mesmo errei já tanto,
Que te sobram razões de compensar
Com essas faltas minhas tudo quanto
Não terás tu somente a resgatar;

Os sentidos traíram-te, e meu senso
De parte adversa é mais teu defensor,
Se contra mim te excuso, e me convenço

Na batalha do ódio com o amor:
Vítima e cúmplice do criminoso,
Dou-me ao ladrão amado e amoroso.


William Shakespeare



Saudades de Helena Kolody




Nas flores do cardo,
leve poeira de orvalho.
Manhã no deserto.

Helena Kolody

domingo, 15 de março de 2015

Os menores contos do mundo!

"Quando acordou, o dinossauro ainda estava lá."

Augusto Monterroso



"Fujamos! Os caçadores de letras estão aq..."

Ana Maria Shua




"Vende-se: sapatos de bebê, sem uso."

Ernest Hemingway

terça-feira, 10 de março de 2015

Uma viagem à Itália pelos cinco anos de escola Atuação

Monumento a Vittorio Emanuele II

 
Nápolis

Ruínas de Pompeia


Cassino Monte Carlo, Principado de Mônaco

Principado de Mônaco

Mar Mediterrâneo


Veneza


Veneza

Mar Mediterrâneo, Ligúria

Coliseu, Roma

Torre de Pisa, Pisa

Torre de Pisa, Pisa


De volta para casa.

Meus agradecimentos aos diretores da escola Atuação, Ademar e Cris,  por me proporcionarem esta experiência fantástica, enriquecedora e inesquecível. 

Prof. Sandro Zanon


Matérias mais antigas:

Minha foto
Sou um professor apaixonado pela educação, pela literatura, pela língua portuguesa e pela arte de escrever. Como tantos educadores, um idealista. Fascina-me a incomensurável capacidade de transformação do ser humano. Por que me ufano da minha profissão? Porque sei que quando leciono, não estou apenas passando conteúdos, mas também destruindo mitos, dogmas e raciocínios falaciosos que cerceiam a liberdade humana.